Terça-Feira, 08 de Agosto de 2017 às 11:00 - Atualizado em Terça-Feira, 08 de Agosto de 2017 às 11:29

Suspeitos de morte e enterro de crianças são presos

A justiça decretou a prisão preventiva do restante do bando que matou duas crianças e deixou um adolescente de 15 anos e um jovem de 24 anos gravemente feridos, na área de Campo de Perizes. A ordem de prisão foi solicitada pelo delegado Edinaldo Santos, que comanda as investigações e já prendeu Antônio Carlos Machado, o Antônio Baixinho, 79 anos e Josean Serra Rêgo, 28 anos. Quatro dos envolvidos nessa barbárie estão sendo procurados.

Uma das vítimas da barbárie de Campo de Perizes, Romário de Jesus da Luz Viegas, 24 anos, afirmou em entrevista que se fingiu de morto para não ser assassinado a tiros e golpes de facão pelos criminosos, que eram chefiados por Antônio Carlos Machado, o Antônio Baixinho. Faziam parte do bando, o genro de Antônio Baixinho, Josean Serra Rêgo e mais quatro pessoas.

Além de Romário de Jesus, as outras vítimas foram Euller da Silva Costa, 15 anos, que também já recebeu alta do Hospital Socorrão II; Erisvan da Silva Costa, 12 anos e Roberto da Luz dos Santos, 11 anos. Os dois últimos foram assassinados e seus corpos encontrados sepultados em uma cova rasa na área do crime. Os dois foram sepultados no último domingo no cemitério da Estiva, em clima de comoção.

“Fingi que estava morto e eles acabaram me abandonando no meio do matagal”, declarou Romário de Jesus, que informou, ainda, que os criminosos estavam portando arma de fogo, facões e faca. Entre os acusados havia um adolescente de 16 anos. Todos chegaram ao local de carro e em motocicletas e recebiam ordens de Antônio Baixinho.

Ainda segundo Romário de Jesus, ele, em companhia das outras vítimas foram a Campo de Perizes com o propósito de pescar e essa era a terceira vez este ano que realizavam essa atividade.  “Não fomos furtar porco de ninguém, mas apenas pescar e voltar para nossa casa”, afirmou a vítima.

 

BARBÁRIE

Romário de Jesus disse que primeiramente Antônio Baixinho chegou a falar com eles, mas logo depois foram cercados pelo bando armado. Os criminosos exigiam que se ajoelhassem e tirassem a camisa. Em seguida, deram início ao ato de tortura. Romário foi alvejado com um tiro na perna e levou vários golpes de faca pelo corpo, inclusive no pescoço e pelas mãos.

Euller da Silva levou um tiro na boca e vários cortes pelo corpo, enquanto, Erisvan da Silva e Roberto da Luz foram levados à força e mortos a tiros e golpes de faca por Antônio Baixinho. Os corpos das vítimas foram enterrados em uma cova rasa, em uma área de mangue em Campo de Perizes. Romário de Jesus declarou que conseguiu chegar à margem da BR-135, onde foi socorrido por uma ambulância do interior do Maranhão.

Euller foi socorrido pelos homens que estavam trabalhando na duplicação da BR-135. Ele recebeu alta médica, mas continua com a bala alojada no pescoço. “Eu fiquei sabendo da morte das crianças, que eram os meus primos, no hospital e quero que seja feita esta justiça”, desabafou a vítima.

Tag's: Notícia, Maranhão, Polícia, Suspeitos, Morte, Crianças, Prisão.

Fonte: Jornal Pequeno

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADES