Sexta-Feira, 22 de Setembro de 2017 às 09:19

Centro de Lançamento de Alcântara realiza novo lançamento de foguete

Foi lançado na tarde dessa quinta-feira (22), um foguete de treinamento no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), a 89 km de São Luís. A ação consiste em mais um passo do Programa Espacial Brasileiro em colocar satélites em orbita. 

Com cinco metros e meio de comprimento e 30 quilos, o foguete atingiu 46,5 quilômetros de altitude em três minutos e 46 segundos, e caiu no mar a 76 quilômetros da plataforma de Alcântara. O lançamento marcou o fim do projeto VLS e a Agência Espacial Brasileira (AEB) trabalha em um desenvolvimento de um VLM, um tipo de foguete adaptado para pequenos satélites. O primeiro teste com o foguete deve ocorrer até 2020 na península de Alcântara.

O programa foi seguido por duas missões, uma realizada na cidade de São José dos Campos em São Paulo, onde estão concentradas as principais ações do programa espacial brasileiro e uma outra localizado no CLA no Maranhão. Com a retomada do projeto espacial, a intenção é que o CLA seja ampliado em mais 12 mil hectares, que já possui um território de 62 mil hectares.

O Ministério Público Federal (MPF), a Advocacia-Geral da União (AGU) e Justiça Federal estão acompanhando os detalhes do projeto de expansão que acontece no momento em que o Governo Federal retomou as negociações para o uso internacional do Centro de Lançamento de Alcântara. O projeto de expansão vem enfrentando resistência por parte das comunidades que vivem nessa área, principalmente por se tratar de uma área em vivem várias comunidades quilombolas, que não aceitam sua retirada do local.

Hilton de Melo, procurador federal, diz que ainda existem pontos da expansão que ainda sejam explicados. “O plano geral de dessa expansão, ou consolidação como se queira chamar, ainda tem lides com tornos muito mal explicados, a gente ainda precisa obter melhores esclarecimentos”, explica.

O coronel Luciano Rechiuti, diretor do CLA, diz que a intenção é retomar os diálogos para convencer os quilombolas que a expansão do centro é estratégica para o país. “O diálogo tem sido buscado pelo Governo Federal porque esse não é um projeto da Força Área ou do Comando da Aeronáutica, são projetos de Brasil. Estamos aqui totalmente prontos para trabalhar tanto com as empresas nacionais e internacionais ou governos do Brasil ou governos de outras nações, no intuito de realizar lançamento de foguetes estamos preparados para isso”, explica.

Tag's: Fogete, são luis, espaço

Fonte: G1

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADES